terça-feira, 1 de setembro de 2015

Família tem limite


Estou falando da família em geral, como irmãos, primos, tios, avós, até mesmo mãe e pai - no caso todos adultos. Pois a família próxima, como o cônjuge, filhos pequenos, essa é indiscutível, ao menos neste caso.

Pois sabe aquele parente que liga na sua casa falando que vem pra uma visita? Sem noção da mudança de planos que você tinha de ficar de pernas pro ar no final de semana, sem hora pra nada, vestindo a roupa mais confortável do mundo (não necessariamente a mais adequada, rs). Daí você corre pra lá e pra cá pra receber bem as pessoas, comida, conversa fora, etc. Acaba seu sábado ou domingo e não conseguiu nem respirar, menos ainda descansar... affff



Por que as pessoas se sentem na obrigação de se verem, se visitarem, só por terem vivido juntas quando crianças? Ok terem boas lembranças e muito em comum NAQUELA ÉPOCA, mas a vida muda e adultos já temos outros interesses, outros amigos, outra família. Deixa as coisas boas no passado, elas são de lá, somente.

Pior aqueles que acham que por serem da mesma família devem ajudar uns aos outros, mas como obrigação, não livremente por generosidade. E ainda fazem cobranças duríssimas!

Ah, já ia me esquecendo das intromissões e palpites, o que mais ocorre quando esse tipo de parentes se encontram. É da mesma família então pode dar sermão, meter-se na vida do outro, criticar o modo de vida do outro? Assim, descaradamente e achando ser dono da verdade?

Já passou da hora desse pessoal parar com essa mania de "juntar a família"! Isso tem limite, e "ser da família" não é passe livre pra tudo a respeito do outro, de jeito nenhum!

Tá, não vou exagerar, tem muita gente boa que é da mesma família. Pessoas que se identificam, se ajudam e se visitam, por simples amizade. Por acaso, pertencem à mesma família; mas poderiam não ser, tanto faz! O importante é o bom relacionamento, a livre empatia, o respeito, a liberdade de poder contar com alguém quando precisar e ter prazer em apoiar o outro.

Pra isso não precisa ter o mesmo sangue ou infância em comum, não é?

;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário