segunda-feira, 27 de julho de 2015

Menstruação sim: liberdade para as mulheres

Nunca havia ouvido falar do perigo deste choque tóxico. Claro, as indústrias não vão querer que todas as mulheres saibam, fiquem receosas e nunca mais usem absorventes internos.

Esses dias me deparei com esta história triste e revoltante. Absurdo não existir obrigação que as embalagens dos absorventes internos tenham aviso em destaque: "O uso deste produto pode causar SCT, que pode levar à morte." Até tem a explicação, mas tão pequenina, parecendo sem importância. Fiquei pensando em quantas mulheres devem ter morrido por isso, ou terem ficado com sequelas graves como na história da modelo.

O uso desse tipo de absorvente dá a sensação de mais liberdade pra mulher, ela pode continuar todas suas atividades sem preocupar-se que está menstruada. A vida não muda em nada naqueles 5-7 dias por mês, só se lembra de tempos em tempos ao trocar o produto. (Parece que pode ficar com o mesmo por até 8 horas.)

Legal, mas isso é realmente uma liberdade? É livre quem precisa esconder até de si mesma um processo fisiológico natural do seu organismo? A mulher considera-se mais livre e com direitos iguais ao homem porque nega sua natureza feminina?

A verdadeira liberdade feminina, pra mim, seria dizer: "Não vou nadar hoje, pois estou menstruada.", "Estou com cólica menstrual, não consigo trabalhar hoje." Ou: "Preciso ir ao banheiro mais vezes." Mas essas frases ditas não como desculpa, vergonha ou mimimi (viu aquela campanha ridícula?), mas tranquilamente, e tratada com respeito, como se dissesse: "Meu cardiologista disse pra não me esforçar, por isso não posso subir escadas." - Ninguém ridiculariza uma frase dessas. Então por que não fazer o mesmo com a mulher menstruada? Não é doença, ok, mas gravidez também não é, e todos respeitam.

Por que a mulher sempre nega sua menstruação, esconde, até mesmo elimina? (Já ouvi falar de quem toma anticoncepcional sem pausa, pra não haver nenhum período de sangramento.) Por que ainda há preconceitos, ideias errôneas, chamadas até de tabus, a respeito da menstruação? Estamos tão evoluídos em tecnologia, mas conhecemos tão pouco do nosso próprio corpo.

Durante toda minha vida sofri durante a menstruação, com cólicas muito fortes. E claro, medicamentos fortes, antiinflamatórios e anticoncepcionais pra amenizar tudo. Mas em tantos anos, nada dava resultado efetivo, tava eu todo mês tomando medicamentos fortes. Daí que tive um estalo: para algo natural como a menstruação, não faz sentido tanto remédio! Parei com tudo, sofri com a mudança, pois o corpo sentiu também. Mas agora vários meses sem tomar nenhum medicamento, nem mesmo analgésico, estou muito melhor!

Uma vez tive uma professora de Tai chi chuan muito bacana. Ela disse que quando estava menstruada, era um dia de recolhimento, um sentimento de limpeza do corpo. Não de algo sujo, mas simplesmente de algo que não servia mais e que o corpo estava eliminando. E esse dia era sagrado pra ela.

Quem sabe se essa moça (e tantas outras) tivesse aceitado sua menstruação, parado suas atividades corriqueiras e modificado seu dia pra cuidar de seu corpo, talvez não estivesse sofrido tanto, talvez não tivesse essa triste história pra contar. 

Mas que então ela sirva para nossa reflexão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário